Versões:

(ARC) - 1969 - Almeida Revisada e Corrigida


Maria unge com unguento os pés de Jesus
12:1
FOI pois Jesus seis dias antes da páscoa a Betânia, onde estava Lázaro, o que falecera, e a quem ressuscitara dos mortos.
12:2
Fizeram-lhe pois ali uma ceia, e Marta servia, e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele.
12:3
Então Maria, tomando um arrátel de unguento de nardo puro, de muito preço ungiu os pés de Jesus, e enxugou-lhe os pés com os seus cabelos; e encheu-se a casa do cheiro do unguento.
12:4
Então um dos seus discípulos, Judas Iscariotes, filho de Simão, o que havia de traí-lo, disse:
12:5
Por que não se vendeu este unguento por trezentos dinheiros e não se deu aos pobres?
12:6
Ora ele disse isto, não pelo cuidado que tivesse dos pobres, mas porque era ladrão e tinha a bolsa, e tirava o que ali se lançava.
12:7
Disse pois Jesus: Deixai-a; para o dia da minha sepultura guardou isto;
12:8
Porque os pobres sempre os tendes convosco; mas a mim nem sempre me tendes.
12:9
E muita gente dos judeus soube que ele estava ali; e foram, não só por causa de Jesus, mas também para ver a Lázaro, a quem ressuscitara dos mortos.
12:10
E os principais dos sacerdotes tomaram deliberação para matar também a Lázaro;
12:11
Porque muitos dos judeus, por causa dele, iam e criam em Jesus.
A entrada triunfal de Jesus em Jerusalém
12:12
No dia seguinte, ouvindo uma grande multidão, que viera à festa, que Jesus vinha a Jerusalém,
12:13
Tomaram ramos de palmeiras, e saíram-lhe ao encontro, e clamavam: Hosana: Bendito o rei d?Israel que vem em nome do Senhor.
12:14
E achou Jesus um jumentinho, e assentou-se sobre ele, como está escrito:
12:15
Não temas, ó filha de Sião; eis que o teu Rei vem assentado sobre o filho de uma jumenta.
12:16
Os seus discípulos, porém, não entenderam isto no princípio; mas, quando Jesus foi glorificado, então se lembraram de que isto estava escrito dele, e que isto lhe fizeram.
12:17
A multidão, pois, que estava com ele quando Lázaro foi chamado da sepultura, testificava que ele o ressuscitara dos mortos.
12:18
Pelo que a multidão lhe saiu ao encontro, porque tinham ouvido que ele fizera este sinal.
12:19
Disseram pois os fariseus entre si: Vedes que nada aproveitais? eis que toda a gente vai após ele.
Alguns gregos desejam ver a Jesus
12:20
Ora havia alguns gregos, entre os que tinham subido a adorar no dia da festa.
12:21
Estes, pois, dirigiram-se a Filipe, que era de Betsaida da Galileia, e rogaram-lhe, dizendo: Senhor, queríamos ver a Jesus.
12:22
Filipe foi dizê-lo a André, e então André e Filipe o disseram a Jesus.
12:23
E Jesus lhes respondeu, dizendo: É chegada a hora em que o Filho do homem há de ser glorificado.
12:24
Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto.
12:25
Quem ama a sua vida perdê-la-á, e quem neste mundo aborrece a sua vida, guardá-la-á para a vida eterna.
12:26
Se alguém me serve, siga-me, e onde eu estiver, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, meu Pai o honrará.
12:27
Agora a minha alma está perturbada; e que direi eu? Pai, salva-me desta hora; mas para isto vim a esta hora.
12:28
Pai, glorifica o teu nome. Então veio uma voz do céu que dizia: Já o tenho glorificado, e outra vez o glorificarei.
12:29
Ora a multidão que ali estava, e que a tinha ouvido, dizia que havia sido um trovão. Outros diziam: Um anjo lhe falou.
12:30
Respondeu Jesus, e disse: Não veio esta voz por amor de mim mas por amor de vós.
12:31
Agora é o juízo deste mundo: agora será expulso o príncipe deste mundo.
12:32
E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim.
12:33
E dizia isto, significando de que morte havia de morrer.
12:34
Respondeu-lhe a multidão: Nós temos ouvido da lei, que o Cristo permanece para sempre; e como dizes tu que convém que o Filho do homem seja levantado? Quem é esse Filho do homem?
12:35
Disse-lhes pois Jesus: A luz ainda está convosco por um pouco de tempo; andai enquanto tendes luz, para que as trevas vos não apanhem; pois quem anda nas trevas não sabe para onde vai.
12:36
Enquanto tendes luz, crede na luz, para que sejais filhos da luz. Estas coisas disse Jesus; e, retirando-se, escondeu-se deles.
12:37
E, ainda que tinha feito tantos sinais diante deles, não criam nele;
12:38
Para que se cumprisse a palavra do profeta Isaías, que diz: Senhor, quem creu na nossa pregação? e a quem foi revelado o braço do Senhor?
12:39
Por isso não podiam crer, pelo que Isaías disse outra vez:
12:40
Cegou-lhes os olhos, e endureceu-lhes o coração, a fim de que não vejam com os olhos, e compreendam no coração, e se convertam, e eu os cure.
12:41
Isaías disse isto quando viu a sua glória e falou dele.
12:42
Apesar de tudo, até muitos dos principais creram nele; mas não o confessavam por causa dos fariseus, para não serem expulsos da sinagoga.
12:43
Porque amavam mais a glória dos homens do que a glória de Deus.
12:44
E Jesus clamou, e disse: Quem crê em mim, crê não em mim, mas naquele que me enviou.
12:45
E quem me vê a mim, vê aquele que me enviou.
12:46
Eu sou a luz que vim ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas.
12:47
E, se alguém ouvir as minhas palavras, e não crer, eu não o julgo: porque eu vim, não para julgar o mundo, mas para salvar o mundo.
12:48
Quem me rejeitar a mim, e não receber as minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o há de julgar no último dia.
12:49
Porque eu não tenho falado de mim mesmo; mas o Pai, que me enviou, ele me deu mandamento sobre o que hei de dizer e sobre o que hei de falar.
12:50
E sei que o seu mandamento é a vida eterna. Portanto, o que eu falo, falo-o como o Pai mo tem dito.

Pesquisando por João 12:1-50 nas obras literárias.

Procurar Vídeos Sobre João 12:1

Referências em Livro Espírita


Wesley Caldeira

jo 12:1
Da Manjedoura A Emaús

Categoria: Livro Espírita
Ref: 11459
Capítulo: 19
Wesley Caldeira
Wesley Caldeira
Detalhes Comprar

Carlos Baccelli

jo 12:1
Evangelho de Chico Xavier, O

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 150
Carlos Baccelli
Detalhes Comprar

Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão

jo 12:5
Emmanuel Responde

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 0
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Emmanuel
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Detalhes Comprar
jo 12:10
Vinha de Luz

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 61
Página: 135
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Emmanuel
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Detalhes Comprar
jo 12:10
Evangelho por Emmanuel, O – Comentários ao Evangelho Segundo João

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 109
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Emmanuel
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Detalhes Comprar
jo 12:11
Caminho, Verdade e Vida

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 113
Página: 241
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Emmanuel
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Detalhes Comprar
jo 12:24
Paulo e Estêvão

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 9
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Emmanuel
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Detalhes Comprar
jo 12:35
Pão Nosso

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 6
Página: 23
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Emmanuel
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Detalhes Comprar
jo 12:35
Livro da Esperança

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 67
Página: 183
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Emmanuel
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Detalhes Comprar
jo 12:35
Justiça Divina

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 65
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Emmanuel
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Detalhes Comprar
jo 12:35
Evangelho por Emmanuel, O – Comentários ao Evangelho Segundo Mateus

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 169
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Emmanuel
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Detalhes Comprar
jo 12:35
Religião dos espíritos

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 70
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Emmanuel
Francisco Cândido Xavier e Wagner Gomes da Paixão
Detalhes Comprar

Irmão X

jo 12:12
Cartas e Crônicas

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 5
Francisco Cândido Xavier
Irmão X
Detalhes Comprar
jo 12:35
Luz Acima

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 16
Francisco Cândido Xavier
Irmão X
Detalhes Comprar

Simonetti, Richard

jo 12:12
Setenta Vezes Sete

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 11
Simonetti, Richard
Simonetti, Richard
Detalhes Comprar

Vinícius

jo 12:24
Nas Pegadas do Mestre

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 55
Página: 128
Vinícius
Detalhes Comprar

Wanda Amorim Joviano

jo 12:25
Sementeira de Paz

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 91
Francisco Cândido Xavier
Neio Lúcio
Wanda Amorim Joviano
Detalhes Comprar

Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira

jo 12:26
Entre Irmãos de Outras Terras

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 36
Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira
Espíritos Diversos
Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira
Detalhes Comprar
jo 12:35
O Espírito da Verdade

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 55
Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira
Espíritos Diversos
Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira
Detalhes Comprar

André Luiz

jo 12:28
Mecanismos da mediunidade

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 26
Francisco Cândido Xavier
André Luiz
Detalhes Comprar
jo 12:35
Libertação

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 6
Francisco Cândido Xavier
André Luiz
Detalhes Comprar

Amélia Rodrigues

jo 12:32
Primícias do Reino

Categoria: Livro Espírita
Ref: 8377
Capítulo: 20
Divaldo Pereira Franco
Amélia Rodrigues
Detalhes Comprar
jo 12:32
Pelos Caminhos de Jesus

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 20
Divaldo Pereira Franco
Amélia Rodrigues
Detalhes Comprar
jo 12:32
Quando Voltar a Primavera

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 18
Divaldo Pereira Franco
Amélia Rodrigues
Detalhes Comprar
jo 12:42
Mensagem do Amor Imortal (A)

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 24
Divaldo Pereira Franco
Amélia Rodrigues
Detalhes Comprar

Arnaldo Rocha

jo 12:32
Instruções Psicofônicas

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 6
Francisco Cândido Xavier
Diversos
Arnaldo Rocha
Detalhes Comprar
jo 12:35
Família

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 26
Francisco Cândido Xavier
Diversos
Arnaldo Rocha
Detalhes Comprar
jo 12:35
Vozes do Grande Além

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 53
Francisco Cândido Xavier
Diversos
Arnaldo Rocha
Detalhes Comprar

Joanna de Ângelis

jo 12:32
Momentos Enriquecedores

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 3
Divaldo Pereira Franco
Joanna de Ângelis
Detalhes Comprar
jo 12:32
Rumos Libertadores

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: -1
Divaldo Pereira Franco
Joanna de Ângelis
Detalhes Comprar

Martins Peralva

jo 12:35
Estudando o Evangelho

Categoria: Livro Espírita
Capítulo: 0
Página: 73
Martins Peralva
Detalhes Comprar

Cairbar Schutel

jo 12:48
Parábolas e Ensinos de Jesus

Categoria: Livro Espírita
Ref: 3659
Capítulo: 8
Cairbar Schutel
Detalhes Comprar

Referências em Outras Obras


CARLOS TORRES PASTORINO

jo 12:1
Sabedoria do Evangelho - Volume 3

Categoria: Outras Obras
Capítulo: 5
CARLOS TORRES PASTORINO
Detalhes Comprar
jo 12:1
Sabedoria do Evangelho - Volume 6

Categoria: Outras Obras
Capítulo: 25
CARLOS TORRES PASTORINO
Detalhes Comprar
jo 12:3
Sabedoria do Evangelho - Volume 7

Categoria: Outras Obras
Capítulo: 28
CARLOS TORRES PASTORINO
Detalhes Comprar
jo 12:24
Sabedoria do Evangelho - Volume 2

Categoria: Outras Obras
Capítulo: 20
CARLOS TORRES PASTORINO
Detalhes Comprar
jo 12:24
Sabedoria do Evangelho - Volume 4

Categoria: Outras Obras
Capítulo: 13
CARLOS TORRES PASTORINO
Detalhes Comprar
jo 12:31
Sabedoria do Evangelho - Volume 8

Categoria: Outras Obras
Capítulo: 5
CARLOS TORRES PASTORINO
Detalhes Comprar
jo 12:34
Sabedoria do Evangelho - Volume 1

Categoria: Outras Obras
Capítulo: 28
CARLOS TORRES PASTORINO
Detalhes Comprar
jo 12:35
Sabedoria do Evangelho - Volume 5

Categoria: Outras Obras
Capítulo: 14
CARLOS TORRES PASTORINO
Detalhes Comprar

Huberto Rohden

jo 12:3
Nosso Mestre

Categoria: Outras Obras
Capítulo: 144
Huberto Rohden
Detalhes Comprar

Locais

BETÂNIA
Clique aqui e abra o mapa no Google (Latitude:31.767, Longitude:35.267)
Nome Atual: al-Eizariya
Nome Grego: Βηθανία
Atualmente: Israel
Cidade próxima a Jerusalém.Mateus 21:7

Betânia foi originalmente uma aldeia da antiga Judeia, tradicionalmente identificada com a cidade de al-Eizariya, também chamada Azariyeh ou Lazariyeh (em árabe, significando "lugar de Lázaro"), na atual Cisjordânia ocupada, onde se encontra a tumba de Lázaro.

Fica a cerca de 3 km a leste da Cidade Velha de Jerusalém e do Monte das Oliveiras.

O nome vem do grego Bethania, possivelmente a partir do hebraico bét nîyyah, contração de bét nanîyah significando "casa de Ananias". Outros significados possíveis são "casa ou lugar dos figos verdes" ou, ainda, "casa dos pobres" .

A mais antiga casa atualmente existente em al-Eizariya, uma habitação de 2:000 anos, é tida como tendo sido a casa de Marta e Maria, as irmãs de Lázaro. Trata-se de um local muito popular de peregrinação.

Betânia é mencionada diversas vezes (doze, mais exactamente) na Bíblia, como um local visitado por Jesus Cristo. Seu nome foi dado a diversas outras localidades em todo o mundo, de acordo com as variantes em cada idioma. Nos Estados Unidos por exemplo, várias cidades têm o nome de Bethany.

Há uma outra Betânia bíblica, a Betânia do Além Jordão, que não deve ser confundida com a Betânia próxima a Jerusalém.[carece de fontes?]



BETÂNIA
Clique aqui e abra o mapa no Google (Latitude:31.767, Longitude:35.267)
Nome Atual: al-Eizariya
Nome Grego: Βηθανία
Atualmente: Israel
Cidade localizada na região da Peréia, a leste do rio Jordão, reino de Heródes Antipas

BETSAIDA
Clique aqui e abra o mapa no Google (Latitude:32.917, Longitude:35.633)
Nome Grego: Βηθσαϊδά
Atualmente: Israel
Cidade. Mateus 11:21

GALILÉIA
Atualmente: ISRAEL
Região de colinas áridas e vales férteis, que se estende a leste e norte do Mar da Galiléia

ISRAEL
Atualmente: ISRAEL
País com área atual de 20.770 km2 . Localiza-se no leste do mar Mediterrâneo e apresenta paisagem muito variada: uma planície costeira limitada por colinas ao sul, e o planalto Galileu ao norte; uma grande depressão que margeia o rio Jordão até o mar Morto, e o Neguev, uma região desértica ao sul, que se estende até o golfo de Ácaba. O desenvolvimento econômico em Israel é o mais avançado do Oriente Médio. As indústrias manufatureiras, particularmente de lapidação de diamantes, produtos eletrônicos e mineração são as atividades mais importantes do setor industrial. O país também possui uma próspera agroindústria que exporta frutas, flores e verduras para a Europa Ocidental. Israel está localizado numa posição estratégica, no encontro da Ásia com a África. A criação do Estado de Israel, gerou uma das mais intrincadas disputas territoriais da atualidade. A criação do Estado de Israel em 1948, representou a realização de um sonho, nascido do desejo de um povo, de retornar à sua pátria depois de mil oitocentos e setenta e oito anos de diáspora. Esta terra que serviu de berço aos patriarcas, juízes, reis, profetas, sábios e justos, recebeu, Jesus o Senhor e Salvador da humanidade. O atual Estado de Israel teve sua origem no sionismo- movimento surgido na Europa, no século XIX, que pregava a criação de um país onde os judeus pudessem viver livres de perseguições. Theodor Herzl organizou o primeiro Congresso sionista em Basiléia, na Suíça, que aprovou a formação de um Estado judeu na Palestina. Colonos judeus da Europa Oriental – onde o anti-semitismo era mais intenso, começaram a se instalar na região, de população majoritariamente árabe. Em 1909, foi fundado na Palestina o primeiro Kibutz, fazenda coletiva onde os colonos judeus aplicavam princípios socialistas. Em 1947, a Organização das Nações Unidas (ONU) votou a favor da divisão da Palestina em dois Estados: um para os judeus e outro para os árabes palestinos. Porém, o plano de partilha não foi bem aceito pelos países árabes e pelos líderes palestinos. O Reino Unido que continuava sofrer a oposição armada dos colonos judeus, decidiu então, encerrar seu mandato na Palestina. Em 14 de maio de 1948, véspera do fim do mandato britânico, os líderes judeus proclamaram o Estado de Israel, com David Bem-Gurion como primeiro-ministro. Os países árabes (Egito, Iraque, Síria e Jordânia) enviaram tropas para impedir a criação de Israel, numa guerra que terminou somente em janeiro de 1949, com a vitória de Israel, que ficou com o controle de 75% do território da Palestina, cerca de um terço a mais do que a área destinada ao Estado judeu no plano de partilha da ONU.

JERUSALÉM
Clique aqui e abra o mapa no Google (Latitude:31.783, Longitude:35.217)
Nome Atual: Jerusalém
Nome Grego: Ἱεροσόλυμα
Atualmente: Israel
Jerusalém – 760 metros de altitude (Bronze Antigo) Invasões: cercada por Senequaribe em 710 a.C.; dominada pelo Faraó Neco em 610, foi destruída por Nabucodonosor em 587. Depois do Cativeiro na Babilônia, seguido pela restauração do templo e da cidade, Jerusalém foi capturada por Ptolomeu Soter em 320 a.C., e em 170 suas muralhas foram arrasadas por Antíoco Epifânio. Em 63 a.C. foi tomada por Pompeu, e finalmente no ano 70 de nossa era foi totalmente destruída pelos romanos.

Localizada em um planalto nas montanhas da Judeia entre o Mar Mediterrâneo e o mar Morto, é uma das cidades mais antigas do mundo. De acordo com a tradição bíblica, o rei Davi conquistou a cidade dos jebuseus e estabeleceu-a como a capital do Reino Unido de Israel, enquanto seu filho, o rei Salomão, encomendou a construção do Primeiro Templo.

SIÃO
Atualmente: ISRAEL
Monte Sião

Coordenadas: 31° 46' 18" N 35° 13' 43" E

Monte Sião (em hebraico: הַר צִיוֹן; romaniz.: Har Tsiyyon; em árabe: جبل صهيون; romaniz.: Jabel Sahyoun) é um monte em Jerusalém localizado bem ao lado da muralha da Cidade Antiga e historicamente associado ao Monte do Templo. O termo é frequentemente utilizado para designar a Terra de Israel.

A etimologia da palavra "Sião" ("ṣiyyôn") é incerta.

Mencionado na Bíblia em II Samuel (II Samuel 5:7) como sendo o nome do local onde estava uma fortaleza jebusita conquistada pelo rei Davi, sua origem provavelmente é anterior à chegada dos antigos israelitas. Se for semítico, pode ser derivado da raiz hebraica "ṣiyyôn" ("castelo"), da árabe "ṣiyya" ("terra seca") ou ainda da árabe "šanā" ("proteger" ou "cidadela"). É possível que o termo também esteja relacionado à raiz árabe "ṣahî" ("subir até o topo") ou "ṣuhhay" ("torre" ou "o cume da montanha"). Uma relação não-semítica com a palavra hurriana "šeya" ("rio" ou "riacho") também já foi sugerida.

Sahyun (em árabe: صهيون, Ṣahyūn ou Ṣihyūn) é a palavra para "Sião" em árabe e em siríaco. Um vale chamado "Wâdi Sahyûn" (uádi significa "vale") aparentemente preserva o nome original e está localizado a aproximadamente três quilômetros do Portão de Jaffa da Cidade Velha.

A frase "Har Tzion" aparece nove vezes na Bíblia judaica, mas escrita com um tsade e não um zayin.

De acordo com o relato em II Samuel (II Samuel 5:7), depois de conquistar a "fortaleza de Sião", David construiu ali seu palácio e a Cidade de David. O local foi mencionado também em Isaías 60:14, nos Salmos e em I Macabeus (ca. século II a.C.).

Depois da conquista da cidade jebusita, o monte da Cidade Baixa foi dividido em diversas partes. A mais alta, ao norte, tornou-se o local onde estava o Templo de Salomão. Com base em escavações arqueológicas que revelaram seções da muralha deste primeiro templo, acredita-se que ali era de fato o antigo Monte Sião.

No final do período do Primeiro Templo, Jerusalém se expandiu para o oeste. Pouco antes da conquista romana de Jerusalém e da destruição do Segundo Templo, Josefo descreveu o Monte Sião como uma colina do outro lado do vale para o oeste. Assim, a colina ocidental que se estendia pelo sul da Cidade Velha acabou sendo conhecida como "Monte Sião" e assim permanece desde então. No final do período romano, uma sinagoga foi construída na entrada da estrutura conhecida como "Túmulo de Davi", provavelmente por causa da crença de que Davi teria trazido a Arca da Aliança até ali vinda de Bete-Semes e Quiriate-Jearim antes da construção do Templo.

Em 1948, o Monte Sião foi ligado ao bairro de Yemin Moshe, em Jerusalém Ocidental, através de um túnel estreito. Durante a guerra da independência, uma forma alternativa para evacuar feridos e transportar suprimentos aos soldados que estavam no alto do monte se fez necessária. Um teleférico capaz de carregar 250 kg foi instalado e era operado apenas à noite para evitar ser detectado. O aparelho ainda existe e está no Hotel Monte Sião.

Entre 1948 e 1967, quando a Cidade Velha esteve sob ocupação jordaniana, aos israelenses foi negada a permissão de irem até seus lugares santos. O Monte Sião foi designado uma terra de ninguém entre Israel e Jordânia. O monte era o local mais próximo do local do antigo Templo de Jerusalém ainda acessível aos israelenses. Até a reconquista de Jerusalém Oriental durante a Guerra dos Seis Dias, os israelenses subiam no teto do Túmulo de Davi para orar.

A sinuosa estrada que leva ao topo do Monte Sião é conhecida como "Caminho do Papa" ("Derekh Ha'apifyor") e foi pavimentada em homenagem às históricas visitas a Jerusalém pelo papa Paulo VI em 1964.

Entre os mais importantes estão a Abadia da Dormição, o Túmulo de Davi e a Sala da Última Ceia. A maior parte dos historiadores e arqueologistas não acreditam que o "Túmulo de Davi" seja de fato o local onde estaria enterrado o rei Davi. A Câmara do Holocausto ("Martef HaShoah"), a precursora do Yad Vashem, também está no Monte Sião, assim como o cemitério protestante onde Oscar Schindler, um "justo entre as nações" que salvou mais de 1 200 judeus durante o Holocausto, está enterrado.

Em 1874, o britânico Henry Maudsley descobriu uma grande seção de rochas e diversos grandes tijolos de pedra no Monte Sião que, acredita-se, formavam a base da "Primeira Muralha" citada por Josefo. Muitas delas haviam sido utilizadas para construir uma murada de contenção à volta do portão principal da escola do bispo Gobat (local que depois ficou conhecido como "Instituto Americano para Estudos da Terra Santa" e a "Universidade de Jerusalém").




Comentários

Beacon

Comentário Bíblico de Beacon - Interpretação abrangente da Bíblia por 40 teólogos evangélicos conservadores






Champlin

Antigo e Novo Testamento interpretado versículo por versículo por Russell Norman Champlin é cristão de cunho protestante


























































































































































































Genebra

Comentários da Bíblia de Estudos de Genebra pela Sociedade Bíblica do Brasil para versão Almeida Revista e Atualizada (ARA)






Matthew Henry

Comentário Bíblico de Matthew Henry, um pastor presbiteriano e comentarista bíblico inglês.






Wesley

Comentário bíblico John Wesley - Metodista - Clérigo Anglicano






Wiersbe

Comentário bíblico expositivo por Warren Wendel Wiersbe, pastor Calvinista






Russell Shedd

Comentários da Bíblia por Russell Shedd, teólogo evangélico e missionário da Missão Batista Conservadora.






NVI F. F. Bruce

Comentário Bíblico da versão NVI por Frederick Fyvie Bruce, um dos fundadores da moderna compreensão evangélica da Bíblia






Moody

Comentários bíblicos por Charles F. Pfeiffer, Batista






















































Francis Davidson

O Novo Comentário da Bíblia, por Francis Davidson
























John MacArthur

Comentario de John Fullerton MacArthur Jr, Novo Calvinista, com base batista conservadora






Barclay

O NOVO TESTAMENTO Comentado por William Barclay, pastor da Igreja da Escócia






Notas de Estudos jw.org

Disponível no site oficial das Testemunhas de Jeová





































































































































Apêndices

Principais acontecimentos da vida terrestre de Jesus

Últimos dias do ministério de Jesus em Jerusalém (Parte 1)







A última semana de Jesus na Terra (Parte 1)








Dinheiro e pesos








Israel nos dias de Jesus








Tabela: Profetas e Reis de Judá e de Israel (Parte 1)








Tabela: Profetas e Reis de Judá e de Israel (Parte 2)









Mapas Históricos

A Agricultura de Canaã








CIDADES DO MUNDO BÍBLICO








ESTRADAS E TRANSPORTE NO MUNDO BÍBLICO








JERUSALÉM NO TEMPO DO NOVO TESTAMENTO








GEOLOGIA DA PALESTINA








HIDROLOGIA, SOLO E CHUVAS NA PALESTINA








As condições climáticas de Canaã








O MINISTÉRIO DE JESUS: O ÚLTIMO ANO

abril de 32 d.C. a abril de 33 d.C.







A Escrita








A MORTE DE JESUS E O TÚMULO VAZIO

33 d.C.







PALESTINA - DISTRITOS GEOPOLÍTICOS